terça-feira, 4 de abril de 2017

Só você, a musa dentre as musas de A a Z



De volta ao assunto, "fugindo do padrão". É um desastre ficar pensando, em como deveríamos ser, esteticamente falando. É preciso aceitar a pluralidade da beleza.  Seríamos mais felizes assim. Além de existir outro fator, não menos importante, como por exemplo, a educação que recebemos em casa, a qual pode gerar pessoas com baixa ou alto estima, mas que é um assunto pra outra ocasião, devemos ressaltar, que existe um sistema que tudo controla, e que devemos ir na contramão pra que não caiamos na escravidão. Somos parte de uma geração que está fazendo historia. Que a façamos com glamour. Afinal, cintura fina, quadril largo, pernas grossa, ou fina, popozão, ou popozinho, tudo isso é a beleza e sua diversidade. "O padrão do corpo perfeito" sempre sofrerá transformações. Mas, que o desejo de cuidar da saúde física e mental permaneça em conservação. Seja uma caminhada, artes marciais, uma dança, ou até mesmo uma meditação, se mantenha em ação. Sacode a poeira, se cuide, porque você é linda menina!


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

PARTÍCULAS DO FILME "CAPITÃO FANTÁSTICO"



O filme ressalta como o modo de agir e pensar geram a verdadeira liberdade. Vivemos em uma sociedade onde o alimento físico e intelectual estão comprometidos. Você se passa por uma aberração quando pensa, e age diferente.
UM exemplo absurdo de como somos facilmente influenciados , é a propaganda, "Arma do negócio". De tanto repetir, você se sente  induzido a aderir. Um bom exemplo é o cigarro. Atualmente não existem propagandas  te convidado  à usá-lo, e sim indicando as doenças graves que ele causa. Porém , em décadas passadas ele era sinônimo de elegância.
Hoje o ibope vai para as cervejas.  Se você abrir um boteco, você pode faturar bastante. Eles estão em todo lugar. Vamos deixar de lado as drogas que fazem um estrago maior ainda ok?!  Afinal elas nem foram legalizadas, e eu  nem sei se posso dizer "AINDA". E eu espero que nunca sejam. Mas  enfim, se você não beber, você é o esquisitão. Você deveria beber, pois é o que a maioria faz pra relaxar, mas beba com moderação ok?!  
Os acidentes automobilísticos aumentaram devido ao consumo da bebida, e com isso acredita - se que se repetirem vezes seguidas " Se for beber, não dirija"  o caos vai cessar, mas o mal já está feito, não querendo ser pessimista, mas já sendo, não existe lei seca que dê jeito nisso.

São hábitos que são inseridos,  e muitos  já se apossaram dessa montanha russa. Alguns  "idiotas"  ainda vão te ridicularizar se você não acompanhar a massa.    Costumo dizer que nós  precisamos de algo que traga a adrenalina à tona, e devido à essa fraqueza humana,  muitas pessoas procuram nas drogas, bebidas, paixões físicas, ou até mesmo um refrigério espiritual, algo que acalente a ansiedade e traga a sensação de bem estar. E quando não encontram esse equilíbrio, tendem à exagerar, e posteriormente afundar.
Pra finalizar, voltemos ao ponto fundamental. 



Cuide BEM  de sua mente. Ela tem um papel importante na formação de uma boa civilização. Crie o hábito de pensar, criticar, filtrar e absorver aquilo que de fato vai te beneficiar. Esse hábito começa dentro da nossa casa. Eduque seu filho da maneira mais sensata e honesta possível, pra que ele tenha uma boa estrutura e saiba reagir à pseudo ideias construtivas. Afinal a verdadeira escola começa dentro da nossa casa.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Não Sou Daqui, Nem Vim Pra Ficar



“Nu deixei o ventre de minha mãe, e nu partirei da terra."  Certa vez, um homem íntegro, e modesto  disse estas palavras. O curioso, é que esse homem perdeu todos os seus bens, e também tudo o que ele mais amava nessa vida, sua família, e em nenhum momento reclamou.  O mais intrigante é que esse homem não plantou pra colher tais frutos. Afinal, na nossa sociedade temos o hábito de dizer que colhemos o que plantamos, e isso nem sempre é coerente. Agora eu pergunto a vocês: Como um humano pode passar por isso tudo e em nenhum momento deixar sua fé  oscilar? Afinal, ao menor sinal de problema, começamos a resistir como crianças. Não lidamos muito bem com estes testes de resistência da vida. Não aceitamos as perdas, e também não aceitamos as dificuldades assim, tão facilmente. Por fim , temos uma predisposição à reclamar das coisas ruins que nos acontecem. Tudo bem, somos humanos, e geralmente enxergamos tudo errado, enxergamos de modo egoísta, digo isso porque, sabemos que nada é eterno, mas vivemos como se fosse. Nossos bens não são nossos, nosso corpo não é nosso, as pessoas  que amamos também não nos pertencem. E tenho dito: "Não sou daqui, nem vim pra ficar".
Por que não gostamos de falar da morte?! 
Alguns dizem que é papo de gente depressiva, ou pessimista, afinal temos tantos assuntos bons a tratar né?! Tudo bem, falar de coisas bacanas como, viver a vida plenamente é interessante sim, mas esse assunto da Inexistência também é real. Sabemos que não temos escapatória, porém, evitamos. Esse assunto  trás à tona nossa sensibilidade, ficamos mais solidários, por exemplo. A partir do momento que alguém descobre que tem pouco tempo de vida, aquele lado frágil e benevolente tende a aparecer. Procuramos cuidar mais, abraçar mais. Como diz a música  "Epitáfio"  de Titãs.


Temos a péssima tendência de fazer algo de bom à nós mesmos, ou à alguém quando nos sentimos despojados, ou quando sentimos o cheiro da morte. Espero não sentir o cheiro dela, enquanto minha vida ainda tiver "pendências".
Falar da inexistência é intrigante, e mais complicado ainda é não saber como ou quando acontecerá. É medonho pensar como será do outro lado. Será que dói? Sensação suave ou dolorosa? Um trecho interessante  do filme, "A Perseguição":  A trama acompanha a história de uma equipe de extratores de petróleo que, após a queda de seu avião no Alasca, começam a lutar pela sobrevivência no frio impiedoso. John Ottway, diz à um de seus companheiros  que se acalmasse e tentasse pensar em coisas que ele gostava e que o deixasse feliz. Ele estava apavorado, pois ele sabia que havia algo errado com ele . Ele sentia o cheiro da morte. Então seu parceiro pede à ele que se concentrasse nas coisas boas, diz a ele que ia deslizar sobre ele , e que a sensação era agradável.
Como será a sensação nesse exato momento? Se é que poderemos senti-la. Costumo dizer que o importante é valorizar a vida, ela sim merece ibope. Ela, a vida, vem recheada de coisas simples. Pra mim, a beleza da vida estará sempre nas coisas simples. Agradeça, respire, sorria, zele, seja gentil. E sempre que possível, torne a vida  alheia mais agradável. Na maioria das vezes não conseguimos respirar mais, sorrir mais, desacelerar mais. 


Existe sempre uma pressão. E toda pressão também deve ter moderação. 




À propósito, mais uma bela música dos digníssimos David Bowie e Freddie Mercury ...






 E essa pressão nos impulsiona à viver de maneira medíocre e doentia. Assim deixamos de dar importância às coisas que acalmam e trazem paz ao coração. Tenha tempo de qualidade com as pessoas que são importantes pra você, elas não são eternas, aliás, nada aqui é eterno. O contato com a natureza e os animais são ótimos relaxantes. Aprendemos muito com eles, as crianças e também com os idosos e suas belas bagagens. Esse assunto é extremamente delicado e necessário. 
A linha entre a vida e a morte é tênue, então não é interessante evitá-lo. Somos frágeis mortais, e vez ou outra façamos uma auto análise nesse contexto. Acredito que conseguiremos respeitar mais as pessoas e todas as coisas à nossa volta.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Saudades De Mim



"Tenho saudades...
De quando o medo não me controlava
Nem a crítica me perturbava,
Do tempo em que comia chocolate sem me preocupar
E livre andava sob a chuva e não ligava de me molhar.

Ah, que saudades...
De quando tomava sorvete com o nariz escorrendo,
Do som "o papai chegou" que me fazia sair correndo,
Do tempo em que me doava sem me importar em receber
E, livre, não usava a culpa para me prender.

Ah, que saudades...
De quando não sofria por antecipação
Por nada e ninguém vendia a paz do coração,
Do tempo em que meus sonhos faziam o mundo parar
E, livre, não tinha medo de chorar nem de arriscar.

De muitas coisas tenho saudades,
Mas a que mais cala fundo é
A saudade que tenho de mim...
E quando bate  essa saudade no peito, penso...

Se eu pudesse viver outra vez,
Arriscaria mais ser feliz,
Deixaria o vento revoar meus cabelos,
Teria menos medo de ser estúpida
E apostaria mais em quem falha,
Pois não há mentes difíceis, mas chaves erradas.
e, tolerante, cobraria pouco dos outros.
E, generosa, muito menos de mim.

Mas não. Como não posso viver outra vez...
Quero ao menos dilatar o tempo,
Fazer de cada dia um mês,
Deixar de ser escrava do futuro,
Homenagear cada minuto no presente
E agradecer cada pessoa que amo por existir.
Mas, acima de tudo, quero trair a morte.
Como? Sendo uma eterna amante da vida."
(...)

É desagradável pensar que estivemos presos por muitos anos em traumas desconhecidos na nossa mente. A mente é uma ferramenta poderosa, capaz de te prender ou te libertar. Como crianças, as vezes tentamos  nos soltar de prisões que nem fazíamos ideia de sua existência, e também não temos suporte para lidar com certas deficiências. Eles ainda não inventaram um sistema que cuida da mente e das emoções das crianças, e mesmo que esse sistema existisse, seria complexo, pois a mente é enigmática. Seríamos adultos mais felizes se desde crianças soubéssemos controlar nossos monstros.   

sábado, 26 de dezembro de 2015

Sobre A Nossa Validade



Perdemos a nossa validade tão facilmente.  Depois de um pequeno acidente, uma torção do meu tornozelo esquerdo, tive ainda mais certeza da minha pequenez. Depois de ficar ali sozinha sentada no chão um tempo chorando de dor, um lampejo de informações vieram na minha mente. Me vi tão dependente, sendo que a minha vida toda tive orgulho de resolver eu mesma minhas coisas. Não que eu nunca aceitasse, ou  precisasse da ajuda das pessoas. Pensei no quanto somos dependentes de uma força maior ou das pessoas. Me senti tão inútil, ali sozinha, enquanto as pessoas passavam e apenas olhavam meu desespero.
Analisando ainda mais meus sentidos, e pensando na minha existência, senti pena de algumas pessoas. Pena daquelas que se acham auto suficientes e imortais. Pessoas que passam por cima das outras como um trator na maior facilidade, daquelas que passam a vida inteira achando que não podem se quebrar, e ainda algumas que vivem hostilizando as pessoas de uma classe social específica, ou ainda as que são preconceituosas e orgulhosas. Senti pena das pessoas que não são flexíveis às boas e necessárias mudanças, as quais fazem um bem impagável à alma. Estão cheias de "verdades" . Na verdade elas são pobres, pobres na alma. Em alguns casos, quando estão afundando, talvez ainda consigam ter um lampejo que seja de integridade no coração. 
  Aí eu pergunto:
Por que quando as pessoas estão numa situação de risco, dor, fraqueza, e dependência, elas percebem sua insignificância, e sentem vergonha de terem sido tão egoístas?  Vergonha por toda a vida, acharem que fossem melhores, quando na verdade não passavam de meros mortais, e só conseguem essa percepção nas suas fraquezas? 
Isso quando elas conseguem...
Terminando minha reflexão, acho justo salientar que somos iguais, somos frágeis, inteligentes, ignorantes, enfim, somos humanos. Uma raça difícil de domar. 
Que possamos fazer o exercício constante da empatia, que possamos cuidar mais dos nossos. E sempre que possível também prestar mais atenção nas pessoas ao nosso redor. 
Fazer com que uma alma se sinta melhor pela nossa existência, a nossa jornada também fica mais leve quando fazemos isso. Na maioria das vezes estamos mais dispostos a criticar os erros, a salientar os problemas, como se fossemos perfeitos. E somente Deus o é, e sabe do interior de cada um de nós, coisa que nem nós mesmos sabemos. Aproveitemos então o pouco tempo que nos resta nessa  pequena jornada em cuidar mais, e criticar ou apontar menos, afinal o tempo é curto, e de repente você percebe que não tem mais tempo para corrigir nada.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

mE Desconectando Pra mElhor Relacionar

Hoje fiz coisas que a tempos não fazia. Depois que desapeguei "um pouco" do mundo virtual, notei mais leveza, e mais criatividade na minha rotina, não que  o mundo virtual apague minha criatividade, mas o excesso com certeza ofusca. Notei que o excesso de informações também trazem o estresse. Certos sites, ou aplicativos, são bons até um certo ponto. Quando você se pegar checando atualizações com muita frequência, e as vezes não consegue nem respirar, devido aos excessos de mensagens, ou informações absorvidas no dia,  é um sinal forte de estás prestes a surtar. Na noite anterior fiquei até três horas da manhã lendo. Notei que a era digital tende a nos afastar da leitura tradicional também. Ao invés de me sentir exausta, devido ao curto tempo se sono, me senti mais interessante no dia seguinte. O cérebro precisa MESMO de musculação, rsrs.
Fui à uma lojinha  de CD´s , fiquei ali horas namorando minhas bandas preferidas, como Roxette, Queen, Dido, e outras maravilhas como um relógio em vinil com a figura de um macaco com fone no ouvido. Olhei livros, coisinhas de decoração, que a propósito, minha casa está precisando. Fiquei pensando em minhas metas também, pensando nas economias para comprar, e me programando para começar um ano diferente. Ah, uma delícia!  
A vida fica mais interessante quando enfatizamos as coisas que realmente dão sentido à ela, como os diálogos presenciais, as conversas com as quais podemos olhar nos olhos e ouvir a voz das pessoas. Sentimos assim a energia das pessoas. A era digital é interessante sim, mas como toda evolução vem acompanhada do caos, é importante darmos uma podada diária em alguns excessos.


Maravilhosa " Bonny Portmore" Do Filme Highlander





sábado, 19 de setembro de 2015

Metamorfose Ambulante




Para relaxar, extravasar, ou se revigorar,  procure aquilo que te deixa em paz,  ou procure até mesmo ambientes agitados e com muitas pessoas. Às vezes ficamos cheios de nós mesmos e nos sentimos sozinhos,  e tudo passa a ser tedioso, e quando lidamos com muitas energias,  positivas ou negativas, ficamos predispostos a clarear nossas emoções. Ver, sentir, ou ler as pessoas, pode fazer com que compreendamos mais a nós mesmos.


quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Paz



Sabe aquela paz que você tanto deseja sentir?

E tenta encontrar em vários locais e ocasiões? 
Essa paz meu caro, é rara, não é brincadeira, é coisa séria, mas de tão séria, passa a ser simples e ao mesmo tempo intrigante. 
Não estou falando de religião, aliás essa palavra chega a me incomodar, certas doutrinas me dão nos nervos, estou te dizendo querido, de uma presença simples e poderosa, a presença de Deus. 
Não posso descrever pra você, mas te recomendo um dia sentir,  pois tudo quanto acho ser bom pra mim gosto de passar adiante.
Talvez você consiga sentir quando estiver no fundo do poço, quando parecer não haver mais saída, ou quando nada mais fizer sentido pra você.
Isso soa  extremista pra você?
 Mas infelizmente nós humanos somos assim, temos o péssimo hábito de procurar essa presença instintivamente quando estamos à beira do precipício, e é assim que muitos vão à procura do criador da existência, quando não conseguem enxergar mais  nenhuma saída.




quarta-feira, 5 de agosto de 2015

O VIGOR DE UMA PAIXÃO

Here With Me. 
Sozinha em meio à multidão. 
Esperando o momento mágico em que a primavera sopre a nosso favor, trazendo o  perfume das flores, e  seduzindo o meu corpo a viver essa tórrida e perigosa paixão. 
Revelando a mim e a você que somos incompletos adiando esse momento único. 
Isso é tão sufocante, e ao mesmo tempo  tão libertador, toda essa mistura de sentimentos.
 Adoraria sentir seu perfume, suas carícias. 
As sensações que  tenho  em meu corpo são libertadoras,  me trazem a felicidade de saber que sangue corre em minhas veias.  
É prazeroso. 
Sinto vida saindo em meus poros. 
Fico deslumbrada com as imagens vagando em minha mente. 
Me deixo satisfazer por estes devaneios  momentâneos e delirantes. 
Gosto de viver essa emoção perigosa, me sinto atraída por estes relacionamentos estranhos, e que tiram meus pés do chão.
  
Por que nós humanos temos predisposição à ir pelo lado mais perigoso?   Bem, às vezes eu me encontro pegando atalhos por certos caminhos... intenso, incomum,  situações que trazem um efeito alucinante . 
É como se meu corpo precisasse do efeito de uma  "droga". Como a adrenalina, naturalmente necessária em nossa rotina.
Temos necessidade de algo que traga um efeito alucinógeno em nossa vida.  
Aquilo que trás grandes emoções, como o choro, risos e alegrias. 
Não me preocupo se as pessoas vão me hostilizar, mas prefiro relacionamentos os quais eu posso mergulhar, ser eu mesma, ao invés de apenas molhar os pés. Não gosto de relações razoáveis, gosto de grandes emoções. 
Elas podem até trazer desconforto,  mas a vida não teria nenhum sentido se não existissem desafios.






sexta-feira, 24 de julho de 2015

Refrão de Bolero

Eu que falei nem pensar
Agora me arrependo roendo as unhas
Frágeis testemunhas
De um crime sem perdão

Mas eu falei sem pensar
Coração na mão
Como um refrão de um bolero
Eu fui sincero como não se pode ser

E um erro assim, tão vulgar
Nos persegue a noite inteira
E quando acaba a bebedeira
Ele consegue nos achar

Num bar
Com um vinho barato
Um cigarro no cinzeiro
E uma cara embriagada
No espelho do banheiro

Ana, teus lábios são labirintos, Ana
Que atraem os meus instintos mais sacanas
E o teu olhar sempre distante sempre me engana

Eu que falei nem pensar
Agora me arrependo roendo as unhas
Frágeis testemunhas
De um crime sem perdão

Mas eu falei sem pensar
Coração na mão
Como o refrão de um bolero
Eu fui sincero como não se pode ser

E um erro assim, tão vulgar
Nos persegue a noite inteira
E quando acaba a bebedeira
Ele consegue nos achar

Num bar....

Ana, teus lábios são labirintos, Ana
Eu sigo a tua pista todo dia da semana
Eu entro sempre na tua dança de cigana

Ana, teus lábios são labirintos
Ana, que atraem os meus instintos mais sacanas
E o teu olhar sempre distante sempre me engana
Eu sigo a tua pista todo dia da semana...

Ana...

O que eu falei foi sem pensar
Foi sem pensar.




sábado, 28 de março de 2015

Evolução ou regressão?



Como vai sua postura?  Ou devo dizer, sua dignidade?
Estamos fadados ao descobrimento e à evolução 
pelo resto de nossas vidas, 
isso pode ser construtivo ou destrutivo, 
de acordo com o modo a ser conduzido.
Até o saber pede moderação.
Na busca incessante pelo saber
você pode se perder e esquecer a verdadeira essência de ser.

DIÁRIO DE UM SOBREVIVENTE


Eterno Aprendiz
Misto de leveza e lassidão
Ao tempo  pede calma e dedicação
Assim, desacelera a ansiedade e 
condiciona o coração
A jornada que nos direciona ao sucesso 
pessoal, é vasta e enigmática
E o segredo da realização pessoal, é não desprezar 
nenhuma lição desse dever de casa diário
que é viver.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Bendita Maturidade



Se você sente simpatia por ela, regozije se.  

Coisa boa é ter certeza do que se quer. 
Saber filtrar informações, impurezas físicas e emocionais,  
não se perturbar com a crítica, 
ter paciência com os que estão avançando, 
e ainda conseguir tirar um sarro discreto da tolice alheia.
  A vida fica muito mais leve quando nos assumimos. 
Respeitamos nossas próprias fraquezas, e lidamos bem com nossas glórias . 

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Na Casa da Árvore


Meu refúgio e base de inspiração

Aqui me defendo do monstro 
da soberba, amargura, descontentamento,
e lassidão. 
Chego ao cume a libertação
Sigo meus instintos 
desprezando as máscaras 
alcançando assim a  realização. 

terça-feira, 8 de abril de 2014

A liberdade é o que te prende?




Entendo que liberdade é maturidade.
Tenho o hábito de dizer que ninguém é de ninguém. 
Pode  parecer libertino, mas o fato é que a sensação de liberdade é saudável e prazerosa.  Certos sentimentos como obsessão,  ou insegurança podem arruinar relacionamentos.
Um casal usando rédeas jamais experimentará a plenitude de um romance. 
Isso não significa liberar geral. 
Sou adepta de tudo o que fizer faça com "ordem e decência", (sempre que possível), rs. 
O nome disso é caráter.
A segurança está naquilo que você cria em sua mente, na autoconfiança.  
Primeiro o amor próprio, depois cuidamos de amar e respeitar alguém.  
Ou seja,  você em paz consigo mesmo,  gera confiança mútua.  Doses diárias de respeito e atitude são essenciais na relação.
Não digas que jamais cairá na tentação em desapontar alguém. Aquele que está de pé cuide pra que não caia "na tentação" . Nenhum relacionamento resiste a "excessos". 
Excessos de cobranças, deixa em evidência os defeitos, trazendo aquela sensação de impotência. Isso é depreciativo. Precisamos de estímulos para um desenvolvimento saudável. Já os excessos de cuidados,  fazem com que o outro seja supervalorizado, o que teoricamente te anula. 
A  ideia fixa de mudar o outro acaba com todo erotismo, e a supervalorização do outro te anula. 
Seja prudente,  afinal, nós humanos "animais", com o devido respeito,  estamos sujeitos à situações embaraçosas todo o tempo. Creio que todos nós queremos liberdade,  um momento à sós, e essa atitude não significa que amamos menos o companheiro.  Uma vez que somos humanos temos inconstâncias e também caímos na rotina com facilidade.
 A coisa mais sensata a fazer no momento de crise é sair do ponto de partida e olhar o problema por outro ângulo. Fique só e desacelere os pensamentos.
Quando estamos envolvidos amorosamente ficamos míopes e não prestamos atenção nos detalhes sórdidos do caráter alheio. Enxergamos só o que nos convém. Passa-se o tempo, e quando deveríamos ter mais paciência e criatividade para sustentar melhor a relação, nos descuidamos e começamos a evidenciar aquilo que nos incomoda, criando um campo minado. Passado o tempo, a chata da rotina nos faz desinteressar do nosso investimento amoroso. A coisa mais interessante a fazer é se refazer, afinal, se existe cumplicidade, existe a possibilidade de fazer dar certo.  E a verdade nisso tudo, é que as diferenças também aproximam as pessoas e fazem parte dessa intrigante jornada de se relacionar.

Meu infinito particular



O dia estava lindo , apesar de acordar e sentir- me de péssimo humor.
 Acelerada, como se fosse me faltar ar,  apressei-me e saí.
No caminho,  risos  estampados na face das pessoas que acompanhadas de seus familiares e amigos, demonstravam alegria.
Qual é a fórmula da felicidade?  Perguntei-me baixinho. 
Nesse momento, sinto como se o meu botão de alerta fosse ativado...
Então eu me aquieto, respiro profunda e vagarosamente. Ouço, o tilintar das folhas nas árvores, a ternura do vento que parece cutucar e alvoraçar as folhas e galhos com seu doce humor.
Piso na grama com os pés descalços, pra que eu sinta a energia dela me convidando a sentir seu cheiro,  me seduzindo a deitar, descansar e desacelerar o tempo com sua gentileza de colo de mãe. Pássaros cantam como se fosse a última sinfonia.  Brindam junto ao vento a alegria de fazerem parte da potente e generosa natureza.  Percebo que só me resta agradecer, agradecer a Deus por me permitir sentir e ouvir o sussurro desses seres. Todos com uma função e imbuídos de energia que nos deixam revigorados.  
E nós humanos apressados e plugados em projetos ambiciosos no mundo corruptivo,  não percebemos que é preciso serenidade e sensibilidade pra entender-mos a nobreza das coisas simples ao nosso redor e que estas nos trazem paz e felicidade.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

A Boca



Pela boca sabemos se vale a pena investir em algo mais pessoal.

Ela é o portal de entradas e saídas de riquezas. Através das palavras identificamos a sabedoria. Através da boca também conferimos se a pessoa é zelosa psíquica e fisicamente. Você é o que você consome. Se suas refeições são infrutíferas, logo você enfraquece, e não vive plenamente. "Sai da boca o que o coração está cheio" .... 
 


A alma também é alimentada de pensamentos e palavras. Se sua alma está consumindo porcarias, você enuncia em palavras coisas depreciativas, você coloca a vida das pessoas ao seu redor em risco. No dia a dia notamos o quanto as pessoas estão imbuídas de porcarias através do seu vocabulário, e também pela maneira como se comportam. Deus disse haja luz, e as trevas se ocultaram. As palavras trazem vida, mas também podem matar. Se você não pode dizer algo que será construtivo, é melhor não dizer, o silêncio também é sabedoria.



A boca também é destinada a dar e receber prazer. É considerada uma das regiões mais erógena do corpo humano. Capaz de proporcionar as mais deliciosas sensações. Tenho o hábito de dizer que a boca tem um papel marcante num primeiro encontro, falo da saúde bucal física, intelectual e espiritual. Consigo identificar uma boca sem uma higiene eficaz à distância. Argh! Se uma pessoa não consegue cuidar da boca, que é um órgão simples de cuidar, quanto mais da alma e o corpo?




O sustento físico e espiritual  também vem da boca. Quando bebês a primeira coisa que procuramos é alimento. O leite materno é sinônimo de saúde, e bem estar. Desde bebês aprendemos o que é bom para nosso corpo físico e espiritual, e é imprescindível em nossa jornada reter o que é bom, pra que tenhamos longevidade.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Simplicidade



Quando me resta tempo, fico horas observando o comportamento das pessoas. É meio louco dizer dessa forma, mas me exaltam os sentidos quando me deparo com a simplicidade nelas. Quando elas têm dificuldades de olhar nos olhos ou de se expressar, tenho vontade de dar colo e adoraria ter condição financeira para dar suporte psíquico e social. Vejo isso com frequência em pessoas interioranas, mas também vejo essas pessoas nas cidades grandes. E quando falo de simplicidade falo da verdadeira humildade, a que não tem hipocrisia. Quando adolescente era muito tímida e minha voz quase nem saía, esse foi um ponto perigoso na formação do meu caráter, pois essa dificuldade me privou de me relacionar com as pessoas, o que consequentemente retardou meu desenvolvimento nas áreas mais importante da minha vida. Não sei explicar com exatidão o porquê desse antigo estado emocional, mas o fato é que esse sentimento se torna negativo quando não é moderado.



A timidez não pode te impedir  de progredir, ela funciona como uma bomba relógio que no tempo certo precisa ser desligada, do contrário bota tudo a perder. Ela é um estado de espírito e que pode ser revertido. É um sinal bem evidente de que somos humanos, e ela sempre estará presente nas pessoas normais, porém, esse ponto tem que ser trabalhado diariamente.

Sabemos que quanto maior o poder aquisitivo , maior a probabilidade de sermos orgulhosos. Se quiser conhecer alguém de verdade coloque poder em suas mãos. Não estou afirmando que as pessoas ricas sejam más, aliás admiro-as, ser rico não é uma missão fácil, exige disciplina e comprometimento, e seria errado associar "ricos"  à pessoas do mal, afinal estamos falando de caráter. Simplicidade é conquistada com esforço e vontade própria.

Acredito que todos nós seres humanos temos uma predisposição para a arrogância, e eu tenho certeza que até o mais simples dos humanos já se sentiu tentado pela altivez.

Mas, nossa identidade é definida por escolhas, e é nesse ponto que vejo que o bem e o mal reside no coração e que nós é que determinados o que seremos.